Parque das Aves 2017-07-07T07:16:39+00:00

UMA EXPERIÊNCIA PARA TODOS OS SENTIDOS

A oportunidade de entrar nos viveiros de imersão e estabelecer contato direto com algumas das 150 espécies de aves presentes nesse zoológico é o que torna a atração tão especial para muitos de seus visitantes. A cada ano mais de 500 mil pessoas percorrem a trilha de 1.800 metros que conduz às dezenas de recintos e, principalmente, aos viveiros onde o público experimenta a sensação de ter aves voando à sua volta, encontra tucanos que posam para câmeras e araras que pousam em seus braços. É impossível não ter o olhar atraído pelos guarás, flamingos, papagaios, corujas, seriemas, jandaias, harpias, beija-flores e muitas outras espécies. São cerca de mil aves, em sua maioria da fauna brasileira, algumas delas ameaçadas de extinção, além de aves exóticas, borboletas e répteis.

Diversão recheada de lições sobre a Natureza

O zoológico ocupa 16,5 hectares de mata subtropical junto ao Parque Nacional do Iguaçu. Sua trilha, calçada e plana, é amigável para cadeirantes e famílias com carrinhos de bebês. A comunicação visual apresenta características de cada espécie, curiosidades e fatos observados pelos pesquisadores do parque.

0
Animais no Parque
0
Espécies
0
Visitante/Ano

Caminhe entre as aves que voam soltas nos enormes recintos

Destacam-se entre as atrações três viveiros de imersão e um borboletário. Todos integrados à mata. Neles o visitante passeia entre as aves soltas. Dois desses viveiros reproduzem ambientes do Pantanal e Mata Atlântica e abrigam espécies desses biomas. O terceiro é povoado por araras e papagaios voando no enorme recinto. No borboletário, onde se caminha em meio à festa de cores que são espécies de borboletas da região, o visitante pode observar beija-flores a curtíssima distância.

0%
das aves do parque foram resgatadas de maus tratos e tráfico ilegal pela polícias ambiental e federal ou pelo Ibama.
0
espécies da família Psittacidae estão presentes no parque. É um dos grupos de aves mais ameaçados do mundo. Sete dessas espécies estão em risco de extinção.
0
espécies ameaçadas de extinção já se reproduzem no parque, como parte de um projeto de conservação e eventual reintrodução na natureza. São mais de 50 filhotes de ararajuba, papagaio-da-cara-roxa, papagaio-de-peito-roxo e arara-azul.

Conjunto raro, com espécies de todos os continentes

Em outros recintos, nos quais o público não entra, são exibidas espécies de outros animais, como sucuris, jiboias e jacarés.

Planejado e implantado pelo casal Dennis e Anna Croukamp em 1994, o Parque das Aves remonta a uma ideia que a família desenvolveu ainda na África. Um terço das espécies de aves em exposição vem de zonas subtropicais de todos os continentes. Entre elas, flamingos da África, grous da Ásia e casuares da Nova Guiné.

Você não verá tantos tucanos juntos em nenhum outro parque do mundo

Como uma das aves mais vistosas da fauna brasileira, o tucano é também uma das mais visadas pelos traficantes de animais silvestres. Muitos foram parar no Parque das Aves porque o local também funciona como hospital e refúgio para animais resgatados de maus tratos e do tráfico, desenvolvendo projetos de reprodução em cativeiro e de reintrodução na natureza.

Um canto forte e colorido ecoa na mata subtropical

O Parque coleciona alguns recordes em suas especialidades, como o maior viveiro de araras da América do Sul, os maiores grupos de jacutingas e ararajubas do mundo e o maior conjunto de psitacídeos (a família dos papagaios, araras, jandaias e periquitos) em exibição no Brasil. São mais de 220 indivíduos. Diante de tanta quantidade e variedade, é recomendável que em algum ponto tranquilo do passeio o visitante feche os olhos e preste atenção à melodia de cantos, gorjeios, trinados, chilreios, grasnidos e pios que, assim combinados, só se ouvem no Parque das Aves, em Foz do Iguaçu.

Voltar

Receba nossa Newsletter