Foz das Maravilhas


CATARATAS DO IGUAÇU - Uma das sete maravilhas da natureza
 

Uma das sete maravilhas naturais do planeta, as Cataratas do Iguaçu estão localizadas no trecho do Rio Iguaçu que faz fronteira entre Brasil e Argentina. A eleição que garantiu o título às Cataratas foi organizada pela fundação suíça New Seven Wonders, num processo que começou em 2007, com a participação de 400 atrativos naturais, dos quais 28 passaram à etapa que culminou, em 2011, com a eleição das sete vencedoras.
 

Atualmente visitadas por 2,5 milhões de turistas do mundo inteiro, as Cataratas do Iguaçu foram relatadas pela primeira vez, por um homem branco, em 1542. O explorador espanhol Alvar Nuñez Cabeza de Vaca se deslocava do litoral de Santa Catarina rumo a Assunção, no Paraguai, cidade recém-fundada por expedições anteriores, quando se deparou com a grandiosidade das quedas d’água.
 

Eleanor Roosevelt, então primeira-dama dos Estados Unidos, comparou com uma exclamação as Cataratas do Iguaçu com as quedas que o seu país divide com o Canadá: “Poor Niagara!” (pobre Niágara!).
 

É certamente o que vai pensar qualquer turista que tenha visitado Niágara e depois conheça as quedas do Rio Iguaçu. Maiores e duas vezes mais largas que Niágara, as Cataratas do Iguaçu são únicas. E suas múltiplas belezas encantam até os mais insensíveis às belezas naturais.
 

O Rio Iguaçu, que nasce na Serra do Mar, no Paraná, e tem 1.320 quilômetros de extensão, fazendo divisa com o Estado de Santa Catarina e, nos últimos 115 quilômetros, fronteira com a Argentina.
 

As Cataratas se formam quedas 18 quilômetros antes do Iguaçu desaguar no Rio Paraná. Ali, um desnível do terreno forma quedas de 65 metros de altura, em média, que se estendem por 2.780 metros de largura, a maior parte (1.900 metros) em território argentino.
 

Dependendo da vazão do rio, o número de saltos varia de 150 a 300 e a altura das quedas de 40 a 82 metros. As Cataratas do Iguaçu despejam cerca de 1,5 milhão de litros de água por segundo, em períodos normais. Mas este volume varia de 500 mil litros, em épocas de estiagem, a 6,5 milhões de litros, nos períodos de cheias do Rio Iguaçu.
 

As Cataratas têm 19 saltos principais, três deles no Brasil e os demais na Argentina, porém voltados para o observador que está no lado brasileiro. O salto que mais chama a atenção dos visitantes é a Garganta do Diabo, uma profunda fenda provocada pela erosão, por onde a parte principal das Cataratas se precipita lateralmente. A Garganta do Diabo tem quase 85 metros de altura e seu formato lembra uma ferradura.

Mais informações: http://www.cataratasdoiguacu.com.br
 

PARQUES NACIONAIS
 

As Cataratas do Iguaçu, tanto no lado argentino quanto no brasileiro, estão protegidas por parques nacionais. No lado argentino, o Parque Nacional Iguazú, criado em 1934, tem área de 67.620 hectares; a área do Parque Nacional do Iguaçu, no Brasil, criado em 1939, chega a 185.262,2 hectares.
 

A beleza das Cataratas e a riqueza da fauna e da flora fizeram com que a Unesco declarasse os dois parques como Patrimônio Natural da Humanidade.
 

Além da rica fauna, os dois parques abrigam uma grande variedade de animais cujas espécies já se encontram em listas das ameaçadas de extinção, como a onça-pintada, a lontra, a onça-parda e o gato-do-mato-maracajá.
 

Os especialistas estimam que existam no parque cerca de 800 espécies de borboletas, das quais só 257 foram identificadas. Há também 240 espécies de aves e mais de 50 de mamíferos.

 

 

USINA HIDRELÉTRICA DE ITAIPU - Maravilha da engenharia moderna

 


 

Se o Rio Iguaçu abriga uma das sete maravilhas da natureza, no Rio Paraná, a apenas 38 quilômetros de distância, está uma das sete maravilhas da engenharia, segundo a lista elaborada pela Associação de Engenharia Civil dos Estados Unidos, após ouvir especialistas do mundo inteiro: a Usina Hidrelétrica de Itaipu, empreendimento conjunto de brasileiros e paraguaios.
 

Responsável por quase 20% de todo o consumo de eletricidade no Brasil e mais de 90% do consumo paraguaio, Itaipu é gigantesca em todos os sentidos. Maior do mundo em volume de geração de energia elétrica, Itaipu é formada por uma barragem de 7.919 metros de extensão e altura máxima de 196 metros, o equivalente a um prédio de 65 andares.
 

A construção consumiu 12,3 milhões de metros cúbicos de concreto, suficientes para construir 210 estádios de futebol como o do Maracanã, no Rio de Janeiro. O ferro e o aço utilizados permitiriam a construção de 380 torres semelhantes à Eiffel, de Paris.

O vertedouro da usina, que tem como função descarregar a água não utilizada para geração, tem capacidade para verter 62,2 mil m³/s, 40 vezes mais do que a vazão média das Cataratas do Iguaçu.
 

Além do gigantismo, Itaipu, desde sua origem, manifestou cuidados com a preservação ambiental. No período de formação do reservatório, que se espalharia por uma área de 1.350 km², uma grande operação retirou animais das áreas que seriam inundadas, para serem devolvidos posteriormente à natureza, em um dos muitos refúgios biológicos e reservas criados por Itaipu.
 

Construída em uma área que já havia sido devastada, no lado brasileiro, pela prática agrícola, Itaipu lançou o maior programa de reflorestamento já desenvolvido no mundo por um empreendimento hidrelétrico, com o plantio de mais de 20 milhões de mudas de árvores nativas na faixa de proteção do reservatório.
 

As ações também compreendem a recuperação de córregos e nascentes em toda a Bacia do Paraná 3, área de influência direta ou indireta no reservatório.

Mais informações: http://www.turismoitaipu.com.br

 

Parceria
FOZ DO IGUAÇU DESTINO DO MUNDO | Política de privacidade | Desenvolvido com Drupal 6.1 IMAM